Desgastar em Pedra

 

Areia aglomerada retirada de lixas de ferro P40; lonas de lixas desgastadas.

Na instalação são dispostas no chão, de um lado, as lonas das lixas de onde foi retirada a areia
e, do outro lado, as pedras de areia correspondentes a cada lixa.
Dimensões variáveis, 2015

 

(…) Lixas e pequenas pedras surgem dispostas no chão num processo de transposição reminiscente ao de Small White Pebble Circles (1987) de Richard Long (1945, Inglaterra), no qual seixos de mármore trazidos de longas caminhadas são organizados em anéis concêntricos no espaço do museu. Os objectos que Dalila Gonçalves encontra e colecciona são transportados e organizados nos espaços de galeria e de museu, em composições que delimitam espaços (…).

O uso exaustivo das lixas conduz, inevitavelmente, à sua destruição e impossibilidade de continuidade da sua função. Contudo, aqui, a destruição das lixas significou a construção das pedras que agora se apresentam e que são nada mais do que o aglomerado de areia das lixas. A cada Lixa desgastada corresponde uma pedra única, resultado de um consumo até ao limite. A partir do uso e destruição de uma dada matéria, num processo de aglomeração, Dalila Gonçalves construiu outra matéria que confronta agora aquela que possibilitou a sua existência. Mais do que a forma final, trata-se de uma busca incessante pelo material e pelas partículas que o formam. (…).

 

Luísa Santos, Anozero’15 um lance de dados – textos e ensaios, pág. 25.

 

 

Voltar atrás